A incrível Comunicação entre o Coração e Cérebro – Drª Marcia Tornavoi

Tradicionalmente, o estudo dos caminhos de comunicação entre a cabeça e o coração foi abordado de uma perspectiva bastante unilateral, com os cientistas concentrando-se principalmente nas respostas do coração aos comandos do cérebro.
Aprendemos, no entanto, que a comunicação entre o coração e o cérebro é, na verdade, um diálogo dinâmico, contínuo e de mão dupla, com cada órgão influenciando continuamente a função do outro.

O coração se comunica com o cérebro e o corpo de quatro maneiras:

Neurologicamente(através da transmissão de impulsos nervosos)
Bioquimicamente (via hormônios e neurotransmissores)
Biofisicamente (através de ondas de pressão)
Energeticamente (através de interações de campo eletromagnético).
A comunicação ao longo de todos esses condutos afeta significativamente a atividade do cérebro.

O coração como uma glândula hormonal

Além de suas extensas interações neurológicas, o coração também se comunica bioquimicamente com o cérebro e o corpo por meio dos hormônios que produz. Embora não seja tipicamente considerado como uma glândula endócrina, o coração realmente fabrica e segrega uma série de hormônios e neurotransmissores que têm um amplo impacto no corpo como um todo.

O coração foi reclassificado como parte do sistema hormonal em 1983, quando um novo hormônio produzido e secretado pelos átrios do coração foi descoberto. Este hormônio tem sido chamado por vários nomes diferentes – fator natriurético atrial (ANF), peptídeo natriurético atrial (ANP) e peptídeo atrial. Apelidado de hormônio do equilíbrio, desempenha um papel importante no equilíbrio de fluidos e eletrólitos e ajuda a regular os vasos sanguíneos, os rins, as glândulas suprarrenais e muitos centros de regulação no cérebro.

O aumento do peptídeo atrial inibe a liberação de hormônios do estresse, reduz o fluxo simpático e parece interagir com o sistema imunológico. Ainda mais intrigante, experimentos sugerem que o peptídeo atrial pode influenciar a motivação e o comportamento.
Mais tarde foi descoberto que o coração contém células que sintetizam e liberam catecolaminas (noradrenalina, epinefrina e dopamina), que são neurotransmissores que se pensava serem produzidos apenas por neurônios no cérebro e gânglios.

Mais recentemente, foi descoberto que o coração também fabrica e secreta a oxitocina, que pode atuar como um neurotransmissor e comumente é chamada de hormônio do amor ou da sociabilidade. Além de suas funções bem conhecidas no parto e na lactação, a ocitocina também se mostrou envolvida na cognição, tolerância, confiança e amizade e no estabelecimento de vínculos duradouros.
Notavelmente, as concentrações de oxitocina produzidas no coração estão na mesma faixa daquelas produzidas no cérebro.

Um excelente equilíbrio hormonal em geral depende de uma alimentação adequada e nutrientes na proporção correta. A medica Nutróloga é a parceira ideal para acompanha-los nesta jornada.

Drª Marcia Tornavoi – Médica Nutróloga e Homeopata Bio-FAO. – CRM 58771 – RQE 40397
São Paulo – Consultório 11 3813-2261
Secretaria e Agendamentos 11 98848-3218

Referências
Cantin, M. and J. Genest, The heart as an endocrine gland. Pharmacol Res Commun, 1988. 20 Suppl 3: p. 1-22.

Strohle, A., et al., Atrial natriuretic hormone decreases endocrine response to a combined dexamethasone-corticotropinreleasing hormone test. Biol Psychiatry, 1998. 43(5): p. 371-5.

Butler, G.C., B.L. Senn, and J.S. Floras, Influence of atrial natriuretic factor on heart rate variability in normal men. Am J Physiol, 1994. 267(2 Pt 2): p. H500-5.

Vollmar, A.M., et al., A possible linkage of atrial natriuretic peptide to the immune system. Am J Hypertens, 1990. 3(5 Pt 1): p. 408-11.
Telegdy, G., The action of ANP, BNP and related peptides on motivated behavior in rats. Reviews in the Neurosciences, 1994. 5(4): p. 309-315.

Huang, M., et al., Identification of novel catecholaminecontaining cells not associated with sympathetic neurons in cardiac muscle. Circulation, 1995. 92(8(Suppl)): p. I-59.

Gutkowska, J., et al., Oxytocin is a cardiovascular hormone. Brazilian Journal of Medical and Biological Research, 2000. 33: p. 625-633.

Deixe seu comentário

Dra Márcia Tornavoi 
Nutróloga e Homeopata

Graduada pela Faculdade de Medicina Estadual de São Jose do Rio Preto S.P. (FAMERP).

Membro da ABRAN (Associação brasileira de Nutrologia).

Titulo de especialista pela AMB/ABRAN. RQE 40397

Membro do Instituto de Homeopatia BioFAO

Postagens Recentes

Siga nosso Facebook
Nosso Youtube

Receba novidades em seu email