Mês: agosto 2018

A nossa alimentação em geral, assim como a reposição especifica e adequada de nutrientes, colaboram com uma boa função física, cerebral e mental. O que nos permite modular melhor nossas emoções e sentimentos, ajudando na clareza de nossas escolhas, pensamentos e decisões.

Por exemplo:( Ác Fólico), sua carência aumenta os riscos de depressão, de acordo com dados do The Institute for Functional Medicine, nos Estados Unidos, sua deficiência foi encontrada em 40% dos pacientes depressivos. Fontes: feijão; ervilha; lentilha.

Triptofano: Aminoácido que participa da produção de serotonina, um neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e bom humor. O triptofano fornece os blocos de construção básicos utilizados para sintetizar a serotonina, mas certos co-fatores – vitamina B6, ácido fólico, vitamina C, ferro (fe), magnésio (mg), cálcio (ca) e zinco (zn) – precisam estar presentes para que a reação completa ocorra. Fontes: grão-de-bico; banana; chia.

Vitamina C: Alivia a resposta do corpo ao estresse. Fontes: tomate; laranja; kiwi.

Vitamina B12: Essencial para a saúde do sistema nervoso central. A carência dela pode provocar tremedeiras, esquecimento, fraqueza, falta de disposição e depressão. Fontes: Alimentos de origem animal, como peixes, carnes, ovos, queijo.

Selênio: Estudos têm demonstrado que baixos níveis de, particularmente em jovens, aumentam o risco de depressão. Níveis de selênio muito altos também renderam resultados negativos. Em mulheres grávidas que tinham selênio suficiente em sua dieta estavam em menor risco de desenvolver depressão pós-parto. Fonte: Castanha do Pará

Vitamina D: É vital para manter nossa saúde mental. Sua deficiência contribui para a chamada depressão de inverno – uma queda no humor durante os meses de inverno, além de estar associada a todos os quadros de depressão e outras doenças mentais. Fonte: Sol

Magnésio: É importante para muitos aspectos diferentes da nossa saúde. Ele é responsável por ativar mais de 300 reações enzimáticas diferentes do nosso corpo. É crucial para transmissão nervosa, contração muscular, coagulação sanguínea, produção de energia, metabolismo de nutrientes e formação de osso e células. A falta de magnésio tende a ampliar a reação do estresse e ansiedade, agravando o problema. Fontes: Espinafre, couve, acelga, sementes de abóbora, iogurte e amêndoa.

Menu